domingo, 21 de outubro de 2007

O Começo

Desde menino sou radialista não como profissional, mas sim de coração, e meu grande sonho era ter meu próprio rádio de pilha para poder ouvir minhas rádios favoritas. Enquanto esse sonho não era possível ser realizado ficava prestando atenção no que saia do rádio de meu pai, um rádio portátil Motorádio daqueles pretinho com seis faixas de ondas AM (amplitude modulada), OC (ondas curtas) e OT (onda tropical) na época nem imaginava o que seria FM (frequência modulada), mas o que saia do rádio portátil de meu pai? A turma da Maré Mansa e o programa Moraes Sarmento que se não me engano era aos domingos a noite.
Tempos depois já adolescente, fui trabalhar em um laboratório de próteses dentárias e para minha felicidade tinha lá um dos primeiros rádios transistorizados e meu passatempo favorito nas horas de folga era ouvir esse rádio. Nele eu ficava passeando ouvindo as Rádios Aparecida, Bandeirantes, Record, Clube de Curitiba, Guaíba, Gaúcha, Rádio Nacional a antiga Excelsior que hoje já não existe mais se tornando Rádio CBN (Central Brasileira de Notícias) entre tantas outras. Nesse tempo, como minha mãe é evangélica, me lembro bem de vê-la ouvindo a Rádio Universo de Curitiba e o programa Mateus Yensen.
O tempo foi passando e meu fascínio pelo rádio era cada dia mais crescente, foi quando nos mudamos para pequena e pacata cidade de Santa Fé do Sul – SP onde consegui realizar meu grande sonho, ter meu próprio rádio portátil. Era um rádio Philips de três faixas AM e OC e por causa desse rádio eu vivia brigando com meu irmão porque quando chegava em casa a tarde do trabalho procurava meu rádio para ouvir meus programas favoritos lá estava meu irmão ouvindo futebol pela Rádio Globo do Rio de Janeiro que sem muita discussão tomava de suas mãos e lá estava eu navegando pelas ondas médias e curtas do rádio, foi quando ouvi pela primeira vez a antiga Mundial do Rio de Janeiro a Mundi Jóvem 860. Que felicidade ouvir Robson Alencar, Humberto Campos entre outros com uma programação musical ao meu gosto sem essa gritaria de hoje pois era exatamente o que queria ouvir de uma rádio.
Nesse tempo comecei a me despertar para trabalhar no rádio, mas não consegui devido não ter nenhuma noção do que era a prática de ser radialista a não ser um apaixonado radioescuta. Nessa época, começo década de oitenta, fui morar na cidade de São Paulo na tentativa de arrumar trabalho já que no interior numa cidade pequena a coisa era muito difícil, com essa mudança para a capital paulista minha paixão pelo rádio só aumentou devido as inúmeras opções principalmente das rádios em freqüência modulada como Rádio Cidade, Bandeirantes FM (Band Fm), Antena 1, Jovem Pan, Transamérica FM, Gazeta ... e tantas outras o que era para mim uma delícia ouvir tanto que me doía ter que sair e deixar o rádio sozinho abandonado num canto da sala.
Logo depois fui morar no interior do estado na cidade de São José do Rio Preto onde de fato procurei trabalho numa Rádio da cidade, uma das primeiras rádios em fm da região, a Rádio Stério Show FM, o que foi decepcionante porque lá me disseram que para ser radialista eu teria que fazer um curso de radialismo na Faculdade Anhembi Morumbi em São Paulo, mas como fazer tal curso? Com que dinheiro? Eu um rapaz pobre e sem recursos! Voltei para o estado de Goiás na cidade de Jataí onde tudo havia começado cidade essa que hoje conta com uma população em torno dos 90 mil habitantes com sete emissoras de rádio sendo quatro FMs, uma AM e duas Web Rádio.
Agora sim comecei de fato minha carreira de radialista o ano era 1988 na querida Rádio Difusora AM onde comecei como radioescuta (função já extinta), recepcionista, operador de áudio e operador de transmissor. Logo depois, já no início dos anos 90 fui convidado a participar e integrar a diretoria da Fundação Rádio Educacional de Jataí como Diretor de Radiodifusão lutando para instalaçao de uma rádio educativa, Mundial FM hoje Transamérica, onde passei pelo departamento comercial e produção, apresentação e produção dos programas Freqüência de Classe, Estação Rural e Mundi News, por fim diretor artístico da emissora com registro profissional no DRT nº 2.388.
Nesse período fui convidado a criar a Associação Cidadã de Jataí com propósito de conseguir o primeiro canal de Rádio Comunitária da cidade o que não foi possível devido a situação das rádios comunitárias no Brasil estarem ainda gatinhando e muito conturbadas, mas isso não me impediu de deixar a Associação Cidadã de Jataí pronta para tal propósito.
Algum tempo depois eu e mais um grupo de amigos criamos a ACECS – Associação Comunitária Ecológica e Comunicação Social de Jataí também com a mesma finalidade, uma rádio comunitária veículo esse que nessa época já estava regulamentado, mas não tivemos a sorte de sermos agraciados com o canal porque quando entramos com a paelada já estava a nossa frente uma outra associação criada e defendida por um deputado federal.
Passado tudo isso meu sonho agora era fazer rádio de uma maneira em que eu acreditava ser possível dentro de minhas convicções sem burocracias e com liberdade assim vi na internet essa possibilidade a criação da primeira web rádio do centro-oeste brasileiro a Rádio Line, hoje Rádio Jataí News (Rádio News) onde sou o proprietário, diretor, relações públicas, repórter, produtor, discotecário e apresentador. Um fato interessante nessa altura era o Programa Transatlântico de segunda a sexta a partir das 13 horas (Brasília) sendo retransmitido para Portugal através da Rádio Idéias de Portugal em rede e ao vivo graças a tecnologia do streaming de áudio e a internet.
A Rádio Line (Rádio News) já está no ar há mais de 3 anos, infelizmente com muita dificuldade devido a falta de credibilidade por parte do anunciante em relação a esse novíssimo veículo. Apesar de meus 47 anos de idade me sinto jovem e com muita vontade de aprender. Meus conhecimentos ainda não são suficientes, pois acredito que ser radialista é ser aprendiz um aprendizado diário querendo mais, muito mais, poder contribuir através de trocas de experiências e ideias com colegas profissionais pois acredito nesse veículo chamado RÁDIO que fascina, informa, entretem, promove a amizade e forma opinião.


Gideone Rosa
gideone@gmail.com

Nenhum comentário: